quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Miguel Ventura Terra | 3 dezembro | 16h00 | Pousada de Santa Luzia



 Miguel Ventura Terra | 3 dezembro | 16h00 | Pousada de Santa Luzia


Convite: Abertura da Exposição "José Rodrigues - Espaços Cénicos" | 3 de dezembro | 18h30 | Museu do Traje de Viana do Castelo


Abertura da Exposição "José Rodrigues - Espaços Cénicos" | 3 de dezembro | 18h30 | Museu do Traje de Viana do Castelo



SONS DO CAMINHO: Concerto "I Colori dell'Armonia" | 3 de dezembro | 21h00 | Igreja de Castelo do Neiva (Viana do Castelo)



SONS DO CAMINHO: Concerto "I Colori dell'Armonia" | 3 de dezembro | 21h00 | Igreja de Castelo do Neiva (Viana do Castelo)




terça-feira, 29 de novembro de 2016

DAR TEMPO AO MAR, AGORA EM MODO VITUAL.







      "Aqui fica, de novo, o convite para uma visita virtual ( para os que não a puderam fazer presencialmente)  à última exposição organizada pela BE. Esta exposição só foi possível graças à parceria de várias instituições, pessoal docente e não docente, comunidade e alunos. Estes últimos, para além dos objetos que emprestaram, ainda criaram os seus próprios objetos que se encaixaram numa das sete secções em que a exposição se dividia. 

Façam favor de entrar nesta BE que não tem muros nem portas"

LINK

https://goo.gl/photos/StsVdoJnyAq8NehJ8

Foto:doLethes
Remígio Costa 

domingo, 27 de novembro de 2016

O FUTEBOL DA NOSSA TERRA.



                   Penalti, aos 90'+5', deu a vitória ao UDL por 3-2

AF Viana do Castelo
Primeira divisão
10ª jornada
2016.11.27

                        UD LANHESES, 3 - SC Courense, 2
                                                  (ao intervalo: 1-2)

           EM TEMPO DE COMPENSAÇÃO (6') O JOGO DECORREU "À MODA ANTIGA", TERMINANDO EM POLVOROSA COM A MARCAÇÃO DO PENALTI (90'+5') QUE DEU A VITÓRIA AO UNIÃO DESPORTIVA DE LANHESES. ADEPTOS DA EQUIPA VENCEDORA REJUBILARAM COM O "CASTIGO" SOFRIDO PELO COURENSE PELA SIMULAÇÃO DE LESÕES, FALTA DE FAIR PLAY E INDISCIPLINA GENERALIZADA, CONTESTANDO O TRABALHO DA EQUIPA DE ARBITRAGEM DO INÍCIO AO FIM DA PARTIDA.

DESTAQUE DA JORNADA:

       - UD LANHESES SOB AO 4º LUGAR E ESTÁ A 3  PONTOS DO 2º;
       - VITORINO DE PIÃES VENCE NA CORRELHÃ, E SEGUE EM EUFORIA;
       - ARCOS CONTINUA LÍDER MAS NÃO PASSA INCÓLUME NO "DUELO" COM O RIVAL TÁVORA;
       - MONÇÃO, SEM FRIO PARA BATER O NEVES;

       - SC VIANENSE PASSA POR CAMPOS SEM PROBLEMA E SEM GOLOS SOFRIDOS HÁ 5 (!) JOGOS.


  Equipa dirigida por José Tiago Dias teve trabalho difícil

 Árbitro abordado impetuosamente por elementos do Coura no final da partida. GNR teve que intervir a tempo de evitar ofensas à integridade física do juiz.

  O UDLanheses alinhou: Rocha, Trindade, Peixe (C), Guti, Vítor Sousa, Polido, aos 63' Thomas, Faneca, Faizão, aos 79' Lomba, Pedrinha, Hugo Almeida, aos 69' Kitos e Dani.
Treinador: Miguel Kitos.

                     UD LANHESES

Árbitro: José Tiago Dias. Auxiliares: André Carvalho e Diogo Ribeiro, da AFVC.

Golos e marcadores: aos 15' 1-0, por Vítor Sousa; 1-1, aos 37'; 1-2' aos 45'; 2-2 aos 57', por Hugo Almeida; 90'+5', g.p. 3-2, por Faneca. Aos 92', o mesmo jogador, não converteu outro penalti por defesa do g.r. do Coura.

                         SC Courense


COMENTÁRIO:

     No primeiro tempo a partida decorreu equilibrada, sem domínio territorial de qualquer das equipas.  Boa dinâmica de jogo dos dois conjuntos, procurando cada um chegar rápido e bem à baliza contrária, com bom ritmo e intensidade atacante e impetuosidade sem excessos, dos dois lados. A equipa de Coura evidenciou, neste período, ambição de discutir a decisão do resultado até ao limite e a forma como encarou e exerceu o seu bom desempenho mostrou poder atingir os seus objetivos, não obstante a forte oposição da equipa local.

     O período complementar decorreu de modo bem diferente do que havia sido oferecido aos assistentes nos primeiros quarenta e cinco minutos. Os visitantes, com o resultado a seu favor, intensificaram os protestos contra a equipa de arbitragem que vinham a praticar desde o apito inicial a partir do "banco", e da bancada pelos apoiantes que vieram de Coura em número elevado, contestando com gestos e vozes, toda e qualquer decisão da arbitragem. Aos 62' o treinador courense recebeu ordem de expulsão, e no relvado sucediam-se as entradas do massagista dos visitantes para assistir atletas "lesionados", às vezes dois em simultâneo, numa imitação macaqueada que grassa em Portugal de forma vergonhosa e despudorada nos escalões profissionais. Com o resultado ainda empatado a dois golos e após mais um ataque anulado aos locais, um jogador visitante ficou no relvado estatelado, contorcendo-se, reclamando assistência. Entrou o massagista (!), espargiu o spray gelado com generosidade misericordiosa, o moço lá se foi levantado a custo e, apoiado no ombro do assistente, saiu num só pé, pela linha lateral; aí chegado, desprendeu-se, rápido, do solidário apoio e, a correr cerca de quarenta metros, foi até à linha do meio campo pedir para reentrar no jogo. 

    A compensação de tempo foi de 6', podiam ter sido doze ou mesmo mais, tantas foram as interrupções havidas e requeridas pelos atletas visitantes. No tempo que restava para o termo do encontro, a emoção generalizada abafou a razão, dentro e fora do campo. O Lanheses atacava e desperdiçava lances de golo, ora por desacerto no remate ora pelas excelentes intervenções do guarda redes forasteiro, até que, no derradeiro minuto, entre uma floresta de pernas na área maior do Coura, o árbitro sancionou com a pena máxima um derrube a atacante da casa, donde resultou o triunfo no remate, sem defesa, de Faneca.

Logo a seguir o árbitro dá por fim a contenda e vê-se rodeado por muitos elementos da equipa do SC Courense. Entraram rápido os agentes da GNR, depois elementos do staff da equipa de Coura, até o treinador expulso. Não dei conta de agressões, nem detenções, mas que o espetáculo "à moda antiga" não foi bonito, não foi não.
                      LANCES DO JOGO - 1ª Parte
         



                                2ª PARTE











                          DEPOIS DO JOGO



  
     RESULTADOS DA JORNADA E CLASSIFICAÇÃO

JORNADA 10




PJVEDGMGSDG
1
Atl. Arcos24107302211+11
2
Vitorino de Piães2210712199+10
3
Cerveira21106312711+16
47UD Lanheses19105412010+10
57Vianense1910613178+9
68Neves FC17105232015+5
78ADC Correlhã17104511512+3
8
Castelense1510433209+11
97ACR Arcozelo12103341114-3
108AD Campos1110325916-7
117Monção10103161217-5
128SC Courense10102441116-5
13
Távora10103161318-5
148AD Chafé9102351317-4
15
Valenciano510127718-11
16
Vila Fria0100010439-35

Fotos: doLethes
Remígio Costa   

"MURMÚRIOS DO OLHAR", NOVO LIVRO DE POESIA DE FERNANDO CASTRO E SOUSA.

    

                                  Fernando Castro e Sousa

     O poeta das "margens do Lima" Fernando Castro e Sousa apresentou ontem, sábado dia 26 de Novembro, um novo livro de poesia -o quarto da sua autoria- a que deu o título de "Murmúrios do Olhar". A apresentação teve lugar na sala lotada dedicada a Fernando Pessoa, da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo, onde estavam figuras relevantes da sociedade vianense, das letras e do ensino e da atividade político-administrativa e social, bem como muitos dos seus amigos e conhecidos.

                                  Salvato Trigo

     A apresentação do livro esteve a cargo do prestigiado Doutor Salvato Trigo, havendo ainda lugar às intervenções do presidente da CER (Centro de estudos regionais) que editou a obra, João Carlos Loureiro, de Maria José Guerreiro, vereadora do pelouro da Cultura da Câmara Municipal concelhia e, naturalmente, do poeta Fernando Castro e Sousa.

    No decorrer da sessão houve lugar à declamação de poesia selecionada, de que se encarregaram Flora Silva, que assina o prefácio de "Murmúrios do Olhar" e a sua irmâ, Primavera Silva, a professora D. Nani e Carvalhido da Ponte, professor jubilado e escritor vianense, recitando cada um duas composições poéticas.

  
                              Família Silva (filho e pai)
   

   Os momentos muito apreciados e a merecer os aplausos dos ouvintes pela qualidade da execução, pertenceu a João Ricardo Silva, o qual acompanhou à viola o seu filho exímio intérprete nas cordas da guitarra.

   No final, Fernando Castro e Sousa, autografou durante largos minutos exemplares da sua nova obra.

                      
                                    Flora Silva



                               Primavera Silva


                                José Luís Carvalhido da Ponte


                                           D. Nani

                Carvalhido da Ponte, na declamação de um poema


                             A sala, ainda a compor-se.

Foto: doLethes
Remígio Costa