domingo, 31 de julho de 2016

FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE, EM LANHESES, VIANA DO CASTELO.

          


              Portal de armas da Casa do Paço, dos Condes de Almada, que dá acesso ao terreiro onde decorrerá o Festival.


            No próximo sábado dia 6 de agosto, pelas 21:00 horas, vai decorrer no terreiro da Casa do Paço, na Casa dos Condes de Almada, em Lanheses, Viana do Castelo, a XXXVII edição do grande FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE, sob organização da Casa do Povo local. Do cartaz consta a participação de dez agrupamentos folclóricos, sendo cinco de países estrangeiros oriundos da Lituânia, Chipre, Croácia, Turquia e Colômbia, numa variada oferta de música, ritmo, cor e culturas que garantem um espetáculo de qualidade e genuinidade folclórica. 

          O encerramento do festival caberá como sempre ao Rancho Folclórico da Casa do Povo de Lanheses.

          O evento ocorrerá  num cenário de raro enquadramento paisagístico e histórico, por acontecer no amplo terreiro da Casa do Paço dos Condes de Almada, em palco amovível. 

         A entrada é grátis e haverá no espaço cadeiras e lugares de acomodamento público e a logística própria destes eventos.

          

Foto: doLethes
Remígio Costa

quinta-feira, 28 de julho de 2016

BENILDE RIOS FALECEU NO BRASIL

    



        Hoje dobraram a finados os sinos da Igreja de Lanheses, anunciando o falecimento no Brasil onde há muitos anos vivia, de BENILDE RIOS DE CASTRO PINTO, de 89 anos de idade, casada com Manuel (Necas) Palhares. O falecimento desta nossa conterrânea, pertencente à conhecida família Rios sendo irmã de Euclides Rios, ocorreu ontem quarta feira dia 27 de Julho, tendo o funeral decorrido hoje, pelas 15 horas (tmg).

     Conheci a Benilde era eu um jovem de pouco mais de dez anos numa altura em que ela viveu com os tios José Manuel Lourenço (o tio Zé Ferreiro) e a tia Angelina Rios. Fomos vizinhos durante algum tempo. Decorreram depois muitos anos antes que voltasse a vê-la, após longo período no Brasil para onde emigrou após o casamento. Não tive oportunidade de chegar à fala com ela nem sei se me terá reconhecido, uma ou outra vez que estivemos perto em atos públicos da freguesia.

     Deixo aqui à família da extinta a minha solidariedade por este doloroso desenlace, quer aos que vivem no Brasil quer aos (muitos)  parentes que tem em Portugal, designadamente nesta freguesia.

HOMENAGEM A CAROLINO RAMOS

 (Divulgação solicitada)
"

                        Cerimónias de homenagem a Carolino Ramos

Este devotado cidadão vianense e artista multifacetado, vai ser alvo de diversas homenagens já no dia 30, sábado próximo. Nas mesmas, em salutar parceria, souberam envolver-se a Câmara Municipal, o Centro Cultural do Alto Minho, a União de Freguesias de Viana (Monserrate e Santa Maria Maior) e Meadela, e a Escola Secundária de Monserrate, herdeira da antiga Escola Industrial e Comercial de Viana do Castelo, onde Carolino Ramos foi docente. Estas entidades, com o contributo ativo e generoso de Salvador Vieira, que foi discípulo de Mestre Carolino, vão proporcionar a apresentação de um filme que tem CR como figura central (Escola Secundária de Monserrate); o lançamento do livro “Carolino Ramos – a pulsão pela Arte” de Álvaro Campelo e Gonçalo Fagundes (Centro Cultural do Alto Minho e Município), obra que procura enquadrar o Artista no contexto da arte em Viana e Portugal; e a inauguração do monumento escultórico junto à escola de Monserrate, de Salvador Vieira (União de Freguesias de Viana e Município). Os atos iniciam-se na Biblioteca Municipal, pelas 11 horas, com a apresentação do filme, a que se segue a cerimónia de apresentação da obra escrita. Concluídas estas cerimónias, junto ao monumento, será este inaugurado.
Desta forma, Viana manifesta de novo o sentimento de homenagem para com os seus melhores filhos, lembrando que jamais se deve adotar a prática do esquecimento em relação a todos aqueles que contribuíram e vão contribuindo para que Viana do Castelo fosse tendo, e continue a ter, visibilidade e dimensão."

quarta-feira, 27 de julho de 2016

OS BRAVOS DO RIO DOURO (Vídeo)



Barco rabelo com pipas de vinho (Wikipédia)

Barcos Rabelos na Fúria do Rio - A incrível aventura da descida do rio Douro dos típicos barcos rabelos, transportando pipas de vinho maduro até ao cais de Vila Nova de Gaia, no início do séc. xx. FANTÁSTICO!





OPS!

Foto: doLethes
Remígio Costa

FALECIMENTO




     ALFREDO DA ROCHA GOMES, casado, de 88 anos de idade, aposentado da GNR, com domicílio no lugar de Lamas, da freguesia de Lanheses, faleceu ontem terça feira dia 26 de Julho, por motivo de doença.

     O funeral deste nosso conterrâneo vai realizar-se hoje, quarta feira dia 27, pelas 19:30 horas, saindo o féretro em cortejo fúnebre da capela mortuária de Nossa Senhora da Esperança onde está exposto em câmara ardente para a Igreja paroquial onde decorrerão as cerimónias religiosas, findas as quais irá a sepultar no cemitério desta freguesia.

    Aos familiares do extinto apresento as minhas condolências e da minha família.

     

terça-feira, 26 de julho de 2016

REGISTO FILMADO DE PREPARAÇÃO DE CARROS PARA PARTICIPAR EM CORTEJO DE OFERENDAS.


                    O Largo da Corredoura (Carvalheiras) na atualidade. Mais modernizado, só (algumas) das antigas oliveiras são testemunhas do passado.. 



               

                A cena reproduzida neste vídeo retrata os preparativos com vista à participação em Cortejo de Oferendas, tendo sido filmada no largo do Lugar da Corredoura, da freguesia de Lanheses, concelho de Viana do Castelo,  por volta do ano de 1989. Os intervenientes são pequenos lavradores e trabalhadores do campo na sua maioria, alguns dos quais já não pertencem ao número dos vivos. 

           Na freguesia de Lanheses têm sido levadas a cabo ao longo do tempo estas iniciativas de interesse comunitário, visando angariar meios para  fins de natureza social (Centro Social Riba Lima) e desportiva (União Desportiva de Lanheses), por exemplo, para referir apenas os mais recentes. A sua realização implicava a mobilização, empenho e a solidariedade de muitas pessoas e recurso a meios de variados para transporte dos bens ofertados constituídos por madeira serrada, troncos de pinho e eucalipto, lenha, mato, cereais, batatas, aves de capoeira e animais de criação vivos, frutas, vinho, nozes, mel, azeite, presunto, chouriços e mais outros produtos da pequena lavoura familiar, os quais eram arrematados em leilão no fim do extenso desfile ou, nas semanas seguintes, os excedentes não licitados por falta de tempo.

           A mobilização era geral. Cada lugar da freguesia atarefava-se na recolha da maior e mais valiosa quantidade de bens num despique incontornável visando dignificar o bom nome dos moradores. Entravam no desfile com os carros de bois e  com os tratores, engalanados com flores e ramos verdes e cartaz de identificação, seguindo ao som de concertinas e cantigas tradicionais para um lugar de concentração.

           Hoje, muito dificilmente poderão promover-se com êxito operações comunitárias coletivas semelhantes. Desapareceram em grande parte as fontes de produção doméstica de géneros e bens e é cada vez mais acentuado o alheamento das populações no que diz respeito à colaboração voluntária nestes eventos.

Foto: doLethes
Remígio Costa 

OS PÁSSAROS VOARAM...E LEVARAM AS FOLHAS.



Foto: doLETHES
Remígio Costa

domingo, 24 de julho de 2016

A PROCISSÃO, PONTO ALTO DA FESTA DO SENHOR DO CRUZEIRO E DAS NECESSIDADES (EM FOTOGRAFIAS).

            
            Às 15:55 horas sai da Igreja paroquial a cabeça da procissão. Quinze minutos decorreram até o séquito se completar. Às 17:15 horas está de volta ao local de partida a cabeça do cortejo com a parelha a cavalo da GNR à frente e dez minutos depois a banda de música com os últimos participantes a fechar o extenso séquito. 

            Temperatura sufocante na tarde ainda longe do fim. Segue-se o cortejo de tabuleiros e o subsequente leilão, que há de  alongar o termino da festa até depois do sol cair a ocidente da serra de Nogueira.

            Fica o registo do evento nas fotografias a seguir. Até à próxima edição da Festa do Senhor do Cruzeiro e das Necessidades, em Lanheses, Viana do Castelo.

ANTES:

















DURANTE:









































































































DEPOIS: MORDOMAS E TABULEIROS -

































                                        THE END

Fotos: doLETHES
Remígio Costa