domingo, 31 de maio de 2015

MITIGARAM SAUDADES OS EX ESCOLA C + S DE LANHESES (Viana do Castelo)

         


     
              Era espectável que nem todos os alunos, professores e funcionários que passaram pela Escola C + S de Lanheses ( nome de batismo)  desde a sua criação e, depois, a deixaram para prosseguir noutras paragens o percurso normal das suas vidas, aceitassem o convite para voltar à Escola EB 2,3/S, do Agrupamento de Escolas de Arga e Lima, para participar no convívio destinado a celebrar o 25º aniversário do começo de atividade da escola onde prestaram o seu contributo.Mas, foram ainda assim muitos os que quiseram recordar um traço significativo da sua vida como aluno, na qualidade de docente ou em funções administrativas e de auxiliares de educação, trazendo alguns consigo a namorada, esposa, os filhos e mesmo os netos, alguns que saíram dela alunos e se tornaram licenciados, empresários, docentes, administrador de empresa ou profissionais de áreas diferenciada, sendo também em bom número aqueles que estando já numa situação de retirados da vida ativa profissional pelo número de anos que somam  fizeram questão de se associarem à festa da comemoração do quarto de século da "sua" Escola.




            Recebidos pelo Diretor Agostinho Gomes e membros do  seu executivo , aos presentes foi proporcionada uma visita às instalações do Agrupamento, que principiou pelo logradouro designado por "olival" e por uma visita ao Núcleo Museológico do Património Mineiro que lhe está anexo, passando ao Centro Escolar de ensino básico e infantil, seguindo para o auditório criado no bloco recentemente construído (2009) onde decorreria a sessão solene de receção e boas vindas. Nesta sessão, usaram sucessivamente da palavra o coordenador das celebrações da data, dr. Hermenegildo Costa, o presidente da Junta de Freguesia e professor da Escola, Filipe Rocha, José Arieiro administrador no Hospital de Santo António, no Porto e Luís Grenho, empresário de construção civil, estes na qualidade de representantes dos ex-alunos e, por fim, o diretor Manuel Agostinho Sousa Gomes, tendo todos os intervenientes realçado o significado da data e manifestado o júbilo que sentiam por nela estarem a participar.

          

                 A visita foi reiniciada com uma passagem pela Exposição sobre trabalhos de cerâmica e pintura, uma mostra de peças elaborados pelos alunos da Academia Sénior do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) que funciona desde 2011 na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG), os quais frequentam a disciplina de cerâmica que lhes permite dar largas à criatividade e à aprendizagem da arte de trabalhar o barro e os seus processos de cozedura. A pedido do Diretor, e na minha qualidade de aluno da Academia, fiz uma curta intervenção para dar a conhecer a razão da Mostra, o funcionamento da Academia Sénior e os fins que prossegue. Segui-se uma passagem pela magnífica Biblioteca Escolar onde decorre outra interessante exposição com a originalidade de poderem alguns objetos expostos ser adquiridos por preços muito acessíveis. -Não percam a oportunidade, vão ter muitas surpresas, afirmaria a propósito, o diretor.



                     A surpresa do périplo pelas impecáveis instalações -a Escola está hoje mais linda do que quando foi construída- estava reservada para o deslindar da surpresa que constituía uma forma volumosa coberta com a bandeira alusiva à comemoração, logo divulgada quando o diretor, a convite dos já citados dr. Arieiro e engº Luís Grenho, representantes dos ex-alunos, retirou a cobertura e apareceu a sua efígie estampada na pedra granítica de um padrão muito bem concebido. Foi um momento alto que a assistência sublinhou com muitas palmas e que o homenageado, mal conseguindo controlar a emoção que sentia, agradeceu com palavras de reconhecimento.



                  No refeitório foi servido em regime de self-service um jantar à base de carne acompanhada com arroz de feijão completado com o tradicional arroz doce e frutas diversas como sobremesa, durante o qual houve oportunidade de recuperar o déficit de conversas de anos de separação e evocar os episódios da vida escolar comum.



              Em todos os aspetos se poderá confirmar que o convívio resultou e foi deveras aprazível.

                              O CONVÍVIO EM FOTOS

                                                             INÍCIO (LARANJAL)


                                     
                                         NO CENTRO ESCOLAR


                                               NO AUDITÓRIO
                    Prof. Hermenegildo Costa, Coordenador dos eventos da comemoração.



                                       JOSÉ ARIEIRO, NO USO DA PALAVRA E LUÍS GRENHO. REPRESENTANTES DE EX-ALUNOS.
 Professor Filipe Rocha, na qualidade de presidente da Junta de Freguesia de Lanheses.


 O DIRETOR DO AGRUPAMENTO, AGOSTINHO SOUSA GOMES.


                       José Arieiro, tendo ao lado a namorada e pai José Justino Arieiro


                           NA MOSTRA DA ACADEMIA SÉNIOR



                        EXPOSIÇÃO NA BIBLIOTECA ESCOLAR







 NO PÁTIO DA ENTRADA PRINCIPAL DA ESCOLA SECUNDÁRIA.
                                Participantes no convívio

                                A equipa famosa das "chef" da Escola.
             
                     A SURPRESA
                          DIRETOR HÁ 25 ANOS









              CONFRATERNIZAÇÃO AO JANTAR





FOTOS doLETHES
Remígio Costa

ÁGUA-ARRIBA "LANHEZES" ANIMA A PAISAGEM DO LIMA NA ZONA DO PARQUE VERDE.

               

                  Com as águas em maré baixa desenha-se uma nova paisagem no leito do rio Lima nascendo a meio do curso natural d corrente a montante da ponte, uma banco de areia que parece aumentar de há tempos a esta parte, abrindo dois canais que se formam junto às margens norte e sul. A surpresa, ao lá chegar esta manhã, foi ver o água-arriba "LANHEZES" levando um grupo de veraneantes com o Caninhas, como sempre, ao seu comando. Notando que a réplica da antiga embarcação típica do Lima iria navegar na corrente ondulante de pouca profundidade que se notava pela agitação da superfície, inquiri o "comandante" Caninhas se isso seria possível: -vou tentar, respondeu, num tom de quem sabia bem o que queria e sabia fazer. O findo chato da embarcação não exige muita profundidade de água e deslizava suave e seguro guiado pela vara do experiente "piloto".


             Com a chegada dos dias de sol e do calor, o Parque Verde está a ser cada vez mais  procurado, com alguma surpresa ou talvez não, por grupos de pessoas vindas de outras terras. Levantam-se mesas, fazem-se jogos diversos, carros e caravanas estacionam perto. Aos poucos, o Parque Verde vai-se tornando conhecido e quem aprecia, aproveita...

                             A VIAGEM DO "LANHEZES"












                                     

                             ui, este não foi...só gosta de sol.


FOTOS: doLETHES