sexta-feira, 31 de agosto de 2012

TOME NOTA, PRÓ MILHEIRAL.

 PALCO DAS BÉTULAS 

às 15h45:

ANA FERREIRA (voz) e PAULO PINTO (piano)

às 16h45

Baile pela ACADEMIAJADANÇA.



FOSSO DO MILHEIRAL

às 17h45:

GASPAR ARAÚJO (atleta olímpico lanhesence) - Salto em comprimento (demonstração).


às 18h30:

FUTEBOL.


TORNEIO DE VETERANOS: (Quanto mais velhos...pior.)


                                    


            







 


quinta-feira, 30 de agosto de 2012

BODAS DE OURO MATRIMONIAIS.




                                Os noivos, com a família e o padre Daniel


              ALICE e SERAFIM, do lugar da Peitilha, voltaram nesta manhã de 30 de Agosto de 2012, à Igreja Paroquial, para, numa cerimónia própria deste aniversário, renovarem os votos do seu casamento que decorreu perante o mesmo altar há cinquenta anos passados. A liturgia esteve a cargo do pároco da freguesia de Lanheses e Meixedo, reverendo padre Daniel da Silva Rodrigues, tendo nela participado membros da família dos nubentes constituída de quatro filhos e respectivos cônjuges, dez netos e dois bisnetos, alguns deles ausentes em França onde o casal esteve emigrado durante vários anos.

                              ALICE e SERAFIM

               A Dª. Alice e ao Serafim e respectiva família endereço as minhas felicitações pelo significado desta data.

            




As leituras próprias estiveram a cargo das netas e filha.


Preparação das alianças, por uma das filhas do casal.


O sr. padre Daniel abençoa o casal aniversariante.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

CONVITE FORMAL P'RA FESTA DO MILHEIRAL.

                                        Há já tempos que a Festa do Milheiral do próximo fim de semana a realizar no Parque Verde, em Lanheses (Viana do Castelo) vem sendo divulgada seja através de outdoor colocado junto aos semáforos do lado nascente do Largo Capitão Gaspar de Castro, afixação de cartazes e respectivo programa, no facebook e, mais recentemente, através da colocação de "espantalhos" fixos nas entradas rodoviárias desta localidade. 

                            No entanto, a Junta de Freguesia, responsável pela organização do evento que vai na segunda edição, fez questão de me endereçar um CONVITE pessoal e à minha família e amigos, com vista a incentivar a participação no GRANDE CONVÍVIO do próximo fim de semana, atenção que partilho com muito gosto, aqui, no doLethes, com TODOS os seus visitantes e seguidores.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

CAMINHADA DO MEL

               A próxima caminhada do programa da Câmara Municipal de Viana do Castelo para o ano corrente vai realizar-se no Domingo dia 16 de Setembro próximo, com início pelas 10 horas, sendo o ponto de encontro junto ao Templo de Santa Luzia. O percurso é feito através de um  dos trilhos existentes na zona florestal da montanha, com passagem em S. Mamede, onde, se for cumprida a tradição, decorrerá uma prova do excelente mel produzido na mesma zona, servido com a saborosa broa de milho.

               Esta caminhada conta com a parceria da ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE VIANA DO CASTELO.

            



Divisão de Desporto e Lazer
Câmara Municipal de Viana do Castelo
Rua do Tourinho, n.º 35
4900 Viana do Castelo
Telefone: +351 258 809 364 | Fax: +351 258 809 347
Extensão: 1562
Site: www.cm-viana-castelo.pt




segunda-feira, 27 de agosto de 2012

EVOCANDO ROGÉRIO AGRA, UM AMIGO.

        

     Decorre hoje o 11º aniversário sobre o falecimento de ROGÉRIO PIMENTA AGRA, uma personalidade marcante de Lanheses na segunda metade do século passado, com participação activa e intensa em diferentes áreas da vida administrativa, social, política, industrial e comercial, desportiva e cultural desta freguesia, com uma disponibilidade quase permanente e eficaz para ajudar em momentos difíceis os seus conterrâneos, liderando ou colaborando em iniciativas de natureza solidária , popular, amigo, simpático para todos, alegre, extrovertido, divertido, útil, insubstituível, BOM.

              Um AMIGO. 

Rogério Agra e Benjamim Costa (meu irmão, também já falecido) num momento de convívio familiar, parodiando os famosos "Beatles", ao tempo muito em voga.

              

CONCURSO DE ESPANTALHOS DA FESTA DO MILHEIRAL - Regulamento.

              Do programa da Festa do Milheiral que se vai realizar no próximo dia 2 de Setembro, domingo, no Parque Verde de Lanheses (Viana do Castelo), faz parte um concurso de espantalhos cujo regulamento foi agora divulgado pela organização do evento, a Junta de Freguesia, e que a seguir se insere.


domingo, 26 de agosto de 2012

V ILAR DE MURTEDA PROMOVE "Aldeias em Festa".





Freguesia de Vilar de Murteda
Estrada da Cocheira, nº 4865
4925-675 Vilar de Murteda
00351 258 732902



sábado, 25 de agosto de 2012

TAPETE CHEGA À AGRA.

        

      Concluída a colocação do tapete em toda a extensão da Rua de S. Frutuoso, que liga a Rua da Torre na Rebiqueira à estrada nacional 202 (Viana - Ponte de Lima), no Lugar do Romão, depois de atravessar o Outeiro, o alcatrão chegou ao Lugar da Agra para cobrir o irregular piso térreo da Rua de Ricaldes, um pequeno troço recentemente aberto entre a Avenida Rio Lima e a Rua da Agra, junto à moradia de Francisco Dias, que vinha a ser reclamado há já algum tempo pelos moradores locais numa zona já bastante urbanizada.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

PROGRAMA PARA O MILHEIRAL É SENSACIONAL.

  
                   Aproxima-se o dia 2 de Setembro a data em que vai decorrer no Parque Verde de Lanheses (Viana do Castelo), o 2º FESTIVAL DO MILHEIRAL organizado pela Junta de Freguesia, de cujo programa constam interessantes e variados eventos ao gosto de todas as idades e preferências.

              Na linha do que, no mesmo local, há um ano ali decorreu com enorme sucesso como se pôde constatar pelo elevado número de pessoas que nele participou, o programa escolhido para este ano é muito variado e seleccionado, pretendendo proporcionar aos visitantes uns agradáveis momentos de convívio e lazer, num ambiente saudável e uma paisagem de sonho.

              O local tem um acesso fácil e uma área extensa de ocupação que abrange a paradisíaca margem (direita) do rio Lima, onde abunda o arvoredo a proporcionar sombra e relva, propícias ao estender da toalha para o tradicional pic-nic familiar ou, simplesmente, para relaxamento do corpo e do espírito. E, por que não, um passeio no rio a bordo do "LANHEZES", o barco água-arriba ali atracado, no sítio da Passagem?

              No recinto haverá oportunidade de adquirir, nas tendinhas ali instaladas, muitos géneros da produção familiar agrícola, como legumes, vinhos, mel, aves de capoeira e produtos do fumeiro, bordados e artesanato, entre muitos outros.

              Também, à semelhança do que aconteceu no ano transacto, o remanescente da receita que vier a ser apurada neste festival, vai reverter integralmente para a construção do CENTRO SOCIAL RIBA LIMA.
             



              

             
 

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

MELHORAMENTO DE VIAS RODOVIÁRIAS da FREGUESIA.

             Vista a partir da estrada 202, no Romão.

              Dei conta aqui,há pouco tempo atrás, de que estavam a decorrer trabalhos de alargamento e melhoramento da Rua de S. Frutuoso, que vai da Rua da Torre, na Rebiqueira, até à estrada nacional 202, no Romão, depois de atravessar o Largo do Outeiro. Neste momento, decorre a colocação do tapete de asfalto no troço entre a capela de S. Frutuoso e a estrada nacional, seguindo-se o traçado da rua para poente até à Torre, no qual já se encontra nivelado o piso.




 Rua de S. Frutuoso, a partir da Rua da Torre, na Rebiqueira.


 Do Outeiro para a "Carrola"



 Do Outeiro, para a Rebiqueira.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

FALECIMENTO.

            



MARIA MADALENA DOS PRAZERES LIMA, viúva, de 93 anos de idade, com residência no lugar de Casal Maior, desta freguesia, faleceu hoje, dia 22 de Agosto, por motivo de doença.

O seu funeral vai realizar-se amanhã, quinta-feira, dia 23, pelas 18 horas, saindo o corpo da capela mortuária de Nª Senhora da Esperança onde se encontra em câmara ardente para a Igreja Paroquial, onde, após a celebração de missa de corpo presente irá a sepultar no cemitério desta freguesia.

À família da extinta apresento em nome pessoal e dos meus familiares as minhas condolências.

AGORA, QUE A ROMARIA D'AGONIA JÁ PASSOU.

(in revista Visão)

 

Vale e Azevedo para os Jerónimos, já! Loureiro para o Panteão, já! Jorge Coelho para o Mosteiro de Alcobaça, já! Sócrates para a Torre de Belém, já!  A Torre de Belém não, que é tão feia. Para a Batalha. Fora com o Soldado Desconhecido, o Gama, o Herculano, as criaturas de pacotilha com que os livros de História nos enganaram. Que o Dia de Camões passe a chamar-se Dia de Armando Vara


Agora sol na rua a fim de me melhorar a disposição, me reconciliar com a vida. Passa uma senhora de saco de compras: não estamos assim tão mal, ainda compramos coisas, que injusto tanta queixa, tanto lamento. Isto é internacional, meu caro, internacional e nós, estúpidos, culpamos logo os governos. Quem nos dá este solzinho, quem é? E de graça. Eles a trabalharem para nós, a trabalharem, a trabalharem e a gente, mal agradecidos, protestamos. Deixam de ser ministros e a sua vida um horror, suportado em estóico silêncio. Veja-se, por exemplo, o senhor Mexia, o senhor Dias Loureiro, o senhor Jorge Coelho, coitados. Não há um único que não esteja na franja da miséria. Um único. Mais aqueles rapazes generosos, que, não sendo ministros, deram o litro pelo País e só por orgulho não estendem a mão à caridade.
O senhor Rui Pedro Soares, os senhores Penedos pai e filho, que isto da bondade às vezes é hereditário, dúzias deles.
Tenham o sentido da realidade, portugueses, sejam gratos, sejam honestos, reconheçam o que eles sofreram, o que sofrem. Uns sacrificados, uns Cristos, que pecado feio, a ingratidão. O senhor Vale e Azevedo, outro santo, bem o exprimiu em Londres. O senhor Carlos Cruz, outro santo, bem o explicou em livros. E nós, por pura maldade, teimamos em não entender. Claro que há povos ainda piores do que o nosso: os islandeses, por exemplo, que se atrevem a meter os beneméritos em tribunal. Pelo menos nesse ponto, vá lá, sobra-nos um resto de humanidade, de respeito.
Um pozinho de consideração por almas eleitas, que Deus acolherá decerto, com especial ternura, na amplidão imensa do Seu seio. Já o estou a ver Senta-te aqui ao meu lado ó Loureiro Senta-te aqui ao meu lado ó Duarte Lima Senta-te aqui ao meu lado ó Azevedo que é o mínimo que se pode fazer por esses Padres Américos, pela nossa interminável lista de bem-aventurados, banqueiros, coitadinhos, gestores que o céu lhes dê saúde e boa sorte e demais penitentes de coração puro, espíritos de eleição, seguidores escrupulosos do Evangelho. E com a bandeirinha nacional na lapela, os patriotas, e com a arraia miúda no coração. E melhoram-nos obrigando-nos a sacrifícios purificadores, aproximando-nos dos banquetes de bem-aventuranças da Eternidade. As empresas fecham, os desempregados aumentam, os impostos crescem, penhoram casas, automóveis, o ar que respiramos e a maltosa incapaz de enxergar a capacidade purificadora destas medidas. Reformas ridículas, ordenados mínimos irrisórios, subsídios de cacaracá? Talvez. Mas passaremos sem dificuldade o buraco da agulha enquanto os Loureiros todos abdicam, por amor ao próximo, de uma Eternidade feliz. A transcendência deste acto dá-me vontade de ajoelhar à sua frente.
Dá-me vontade? Ajoelho à sua frente, indigno de lhes desapertar as correias dos sapatos. Vale e Azevedo para os Jerónimos, já! Loureiro para o Panteão, já! Jorge Coelho para o Mosteiro de Alcobaça, já! Sócrates para a Torre de Belém, já! A Torre de Belém não, que é tão feia. Para a Batalha. Fora com o Soldado Desconhecido, o Gama, o Herculano, as criaturas de pacotilha com que os livros de História nos enganaram.
Que o Dia de Camões passe a chamar-se Dia de Armando Vara. Haja sentido das proporções, haja espírito de medida, haja respeito. Estátuas equestres para todos, veneração nacional. Esta mania tacanha de perseguir o senhor Oliveira e Costa: libertem-no. Esta pouca vergonha contra os poucos que estão presos, os quase nenhuns que estão presos por, como provou o senhor Vale e Azevedo, como provou o senhor Carlos Cruz, hedionda perseguição pessoal com fins inconfessáveis. Admitam-no. E voltem a pôr o senhor Dias Loureiro no Conselho de Estado, de onde o obrigaram, por maldade e inveja, a sair. Quero o senhor Mexia no Terreiro do Paço, no lugar de D. José que, aliás, era um pateta. Quero outro mártir qualquer, tanto faz, no lugar do Marquês de Pombal, esse tirano.
Acabem com a pouca vergonha dos Sindicatos.
Acabem com as manifestações, as greves, os protestos, por favor deixem de pecar. Como pedia o doutor João das Regras, olhai, olhai bem, mas vê-de. E tereis mais fominha e, em consequência, mais Paraíso. Agradeçam este solzinho.
Agradeçam a Linha Branca. Agradeçam a sopa e a peçazita de fruta do jantar.
Abaixo o Bem-Estar. Vocês falam em crise mas as actrizes das telenovelas continuam a aumentar o peito: onde é que está a crise, então? Não gostam de olhar aquelas generosas abundâncias que uns violadores de sepulturas, com a alcunha de cirurgiões plásticos, vos oferecem ao olhinho guloso? Não comem carne mas podem comer lábios da grossura de bifes do lombo e transformar as caras das mulheres em tenebrosas máscaras de Carnaval. Para isso já há dinheiro, não é? E vocês a queixarem-se sem vergonha, e vocês cartazes, cortejos, berros.
Proíbam-se os lamentos injustos. Não se vendem livros? Mentira. O senhor Rodrigo dos Santos vende e, enquanto vender, o nível da nossa cultura ultrapassa, sem dificuldade, a Academia Francesa. Que queremos? Temos peitos, lábios, literatura e os ministros e os ex-ministros a tomarem conta disto.
Sinceramente, sejamos justos, a que mais se pode aspirar? O resto são coisas insignificantes: desemprego, preços a dispararem, não haver com que pagar ao médico e à farmácia, ninharias. Como é que ainda sobram criaturas com a desfaçatez de protestarem? Da mesma forma que os processos importantes em tribunal a indignação há-de, fatalmente, de prescrever. E, magrinhos, magrinhos mas com peitos de litro e beijando-nos um aos outros com os bifes das bocas seremos, como é nossa obrigação, felizes.




terça-feira, 21 de agosto de 2012

FALECIMENTO.

              



                        LUDOVINA GONÇALVES DE CASTRO, (Bina do Calvário), viúva, de 88 anos de idade, faleceu hoje dia 19 de Agosto, por motivo de doença.
                             
                       O funeral desta nossa conterrânea vai realizar-se amanhã, dia 20, pelas 16 horas, saindo o corpo da Capela de Nossa Senhora da Esperança onde se encontra exposto para a Igreja Paroquial onde, após celebração de missa de corpo presente irá a enterrar no cemitério desta freguesia.

                      À família da extinta apresento em meu nome e da minha família sentidas condolências.

sábado, 18 de agosto de 2012

É UM ARTISTA POPULAR LANHESENCE, E ISSO ME BASTA!

          Castro, o «artista» que adora cantar temas populares

                O Castro ronda já os sessenta, mas a paixão da sua vida continua a ser igual há que alimenta desde criança. Tivesse tido uma oportunidade séria e no melhor momento e, hoje, o "Carne Assada", natural de Lanheses mas desde há muito tempo emigrante em Lagny, França, como pintor de profissão, teria construído como cantor popular uma forma de vida que o colocaria ao nível de um  Toni Carreira, José Malhoa e outros que obtiveram sucesso como artistas ao gosto da música popular.

              Não tendo tido oportunidade de frequentar em criança uma escola de música onde tivesse podido aprender e explorar os seus dotes de cantor, como uma parente pretendia, por falta de recursos económicos, o "Carne Assada" nunca deixou morrer em si a paixão de cantar, passando a fazê-lo para os amigos ou em convívios para que era solicitado e nos raros momentos em que a vida lho ia permitindo.


             Uma tentativa para entrar no mundo do espectáculo não foi bem sucedida porque a pessoa com quem se envolveu para se ocupar da promoção da sua imagem não correspondeu ao que dela esperava. E, a partir dessa altura, o projecto de vir a ser cantor profissional deixou de fazer parte da sua vida. 

             São raras nesta fase da vida as suas intervenções em espectáculos públicos, sobretudo aqui em Lanheses nas festas populares que se vêm realizando e para as quais não é convidado, justificando essa ausência com o ditado "santos da casa não fazem milagres", quando constata o convite que são dirigidos a outras artistas para actuarem em Lanheses, enquanto ele é ignorado.

             Actualmente, está a gravar um CD, em França, no estúdio particular de um amigo que o tem apoiado e pensa ter concluído dentro de algum tempo. Tem já registadas seis de doze canções que preencherão o elenco a gravar, de gosto popular celebrizadas por artistas de primeira linha.


             Ouvi, com  ele, na aparelhagem do seu carro aquelas canções, tendo notado que o faz num estilo próprio fugindo à vulgaridade de tentar imitar os artistas que as consagraram, e, apesar de se notarem naturais dificuldades de voz, ouve-se com bastante agrado. Vale, além do mais, a coragem de concluir um projecto que era uma aspiração da sua vida.

Capa do futuro CD, a sair brevemente.

 
             Terminadas as férias que, com a família veio passar à terra natal, o Castro (Carne Assada) vai regressar a Lagny, onde concluirá o seu objectivo. Tenho a promessa de que me fará chegar um CD com as doze canções para ser divulgadas, aqui,  no doLethes.

             Fá-lo-ei com todo o gosto. É um artista popular lanhesence e isso me basta.

            

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

FALECIMENTO.

      

                     OLÍVIA DA CONCEIÇÃO DA COSTA PEREIRA, solteira, de 87 anos de idade, com residência no lugar do Campelo, desta freguesia, faleceu ontem vítima de doença.

              O funeral desta nossa conterrânea vai realizar-se amanhã, dia 17, sexta-feira, pelas 17:30 horas, saindo em cortejo fúnebre da sua residência para a Igreja Paroquial onde, após celebração de missa de corpo presente irá a sepultar no cemitério paroquial da freguesia em campa da família.

              Apresento à família as minhas condolências.

CAMPEÕES DE FUTSAL DO TORNEIO DA CASA DO POVO DE LANHESES.


              A Casa do Povo de Lanheses levou a efeito o já tradicional torneio de FUTSAL da época estival, o qual terminou na última terça-feira, dia 14, tendo-se apurado os seguintes resultados:

TORNEIO FEMININO:

Campeão: Vilar de Murteda
2º Soutelense
3º Castanheira
4º Amigas do futsal

 A equipa de Vilar de Murteda que saiu vencedora do Torneio Feminino.

TORNEIO MASCULINO:

Campeão: Escola de Condução de Lanheses
2º Filiovo
3º BAR da Casa do Povo de Lanheses
4º Pavicorfel.

 A equipa da Escola de Condução de Lanheses, vencedora do Torneio masculino.

                  A competição constituiu mais um sucesso de organização e mereceu do público um grande interesse, como se verificou pela afluência de espectadores presentes na final que encheram completamente a bancada do magnífico recinto

                  O Torneio serviu também para ser apresentada a equipa feminina da Casa do Povo de Lanheses que vai participar no campeonato distrital da modalidade na época de 2012/2013.


Fases do jogo da final feminina.


        

QUE SAUDADES EU JÁ TINHA DA MINHA LINDA BOLINHA!

             

De pé, da esquerda: Agostinho, Remígio I, Davidinho, Miro, Zé Pereira,
Chico Alves, Cindinho I, Remígio II. Em baixo: David Pereira, Carne Assada, Bino, Zé Pires e Cindinho II. (Falta um?)




                Sinto-me hoje como se tivesse preso a cada um dos pés um peso de dez quilos! Fui acordado várias vezes durante a noite com cãibras dolorosas, passando longos minutos a tentar repor os músculos no seu devido lugar e "fiz figuras" de manhã ao levantar-me para de novo obrigar as pernas a dar os primeiros passos! 

De pé, da esquerda: Zé Pereira e Cindo II; em baixo: Davidinho e Cindinho I. O mesmo sangue, mas arte de jogar, nem tanto...


              Mas valeu a pena! Só aquele golo "à Falcao", numa entrada fulgurante de antecipação ao defesa  a colocar a cabeça onde o centro "científico" do Zé Pereira fez passar a bola, que foi entrar como uma bala na "gaveta" sem dar hipótese de defesa ao guarda-redes, pagou a factura por tamanho desgaste, empenho e, modéstia à parte, tanta, tanta classe!

              Ah, pois é, meus caros. Aqui o "rapaz" voltou a calçar as botas após terem decorrido  p'rá aí mais de cinquenta anos (!) sem dar "um chuto" na redondinha e fui estrear-me a pisar um campo (em boa verdade, meio campo...) relvado, numa partida em que também quiseram entrar "uns pixotes" com idade para serem meus filhos...

         Só estou "mais largo". Mas o estilo está lá (e, já agora, a "classe" também...)

               Sete de cada lado e ainda mal me tinha dado conta do sítio onde estavam os meus colegas de equipa, zás!, 0-1, no marcador. -Bolas, isto começa mal, pensei para comigo próprio. Há que dar a volta o mais rápida possível. O e o Cindo levaram algum tempo a encontrar as páginas do livro da "arte de bem jogar à bola", mas, quando lá chegaram, a "faena" começou. As oportunidades vieram umas atrás das outras como as cerejas, mas a baliza parecia que dançava à minha frente sempre que eu tentava engatar a culatra do canhão. O raio do esférico só engraçava com o pé esquerdo, que parecia dormente! Mas, o adversário começava a perceber que, se puxava a manta para um lado, deixava o outro destapado. O Zé recupera, cede ao seu tio Cindo, revienga a preceito e o 1-1 estava feito!

                      Cindinho II e Cindinho I. Nem sempre filho de peixe nada tão bem como o pai...

O Presidente, até de braço ao peito! José Pereira, o artista.

               O melhor estava para vir e foi então que se deu o momento do jogo, com a reviravolta do resultado operada pelo "golo do ano". 2-1, e o domínio do jogo era todo da minha equipa. O David Pereira já só "despachava" quando a bola lhe vinha aos pés e ele lhe acertava, o que só raramente acontecia; o Davidinho não saía das boxes e já nem o oxigénio fazia com que regressasse ao jogo. E o Miro, o motor da equipa, já só tinha combustível na reserva. Foi então que o "Rui Barros" personificado no Zé Pires, numa jogada copiada lá no "Brásiu" a "seu" Romário, deu "um jeitinho" na redondinha com a mão e, com "todo o mundo" a ver, e, o senhor doutor também a ver o que todo o mundo viu, entrou na auto estrada que estava à sua frente, foi por ali fora e, quando chegou à portagem, passou sem pagar! 2-2 e, pouco depois, ponto final não fosse o juiz aborrecer-se com a contestação e meter todos na cadeia. Com a sentença de Salomão, terminou o jogão.



Tal como as nuvens tapam o azul do céu, também o "colete" tenta esconder as cores e símbolo do glorioso.

O "Falcão da Meadela" foi ver como se faz. E "o mestre" não o decepcionou.

                Este memorável momento de futebol do tempo da TV a preto e branco (pelo menos para alguns, como eu...) foi um dos melhores momentos que ontem se viveram no Estádio do União Desportiva de Lanheses, onde decorreu o festival dedicado aos lanhesences emigrantes, e onde decorreram outros jogos conforme estava previsto no respectivo programa e se prolongaram por muitas horas do domingo, pelo que não me foi possível a todos acompanhar presencialmente.

O posicionamento é tudo. Mas só serviu para o início da partida...

É essencial ter os adversários por perto e estudar-lhes os movimentos.


Oh, diabo, será que me esqueci de alguma coisa? Afinal, que vim eu cá fazer?

Olhem só para esta pose! É, ou não, de jogador?

Reparem na animação. Aqui, o árbitro ainda não decidiu.

Não, não vai a fugir. Por que será que o David Pereira está a festejar?

Pressão alta, sobre o guarda-redes. A vida de avançado é difícil.

Alguém sabe da bola?

Olha o Miro, Cindo, olha o Miro, pá. Tapa esse "gajo"!

Ainda não acabou.

                Algumas das fotografias aqui divulgadas são obtidas pelo Luís Pedro, o meu neto de seis anos,  que fiz questão de levar ao Estádio para pisar a relva que ele ainda não tinha visto, mas, também, para apreciar os dotes aqui do "rapaz", e mostrar-lhe como se marcam golos "à Falcao", para ele vir a imitar e fazer jus ao título de "Falcão da Meadela".

-Olha lá, ó Cindo I, esqueceste-te de tirar os óculos?

Esta é para confirmar se estão todos. Não, ainda falta um.

EM BAIXO:
                               O sonho dele era uma fotografia destas: aparecer ao lado do "Galo da Costa" não é para todos. Como está com a camisola do UDL, não será proscrito pela "família"...

              FALTA MESMO UM!