segunda-feira, 30 de abril de 2012

CELEBRAÇÃO DO "DIA DA FREGUESIA DE LANHESES"

                    O Presidente da Junta de Freguesia, prof. Ezequiel Vale, no momento da sua intervenção.
´              
               Instituído no ano transacto pela Junta de Freguesia, no preenchimento de uma lacuna há muito requerida e amplamente justificada, decorreu, ontem, a segunda celebração do "DIA DA FREGUESIA DE LANHESES", que envolveu a participação de várias entidades locais e concelhias, bem como de personalidades da área da cultura, política e social.

                D. Lourenço de Almada e Ezequiel Vale, assistem à celebração da missa dominical.
         
   As cerimónias públicas foram iniciadas na Igreja Paroquial, com a colocação de uma coroa de flores no túmulo da família Ricaldes, ancestral dos Condes de Almada, que se encontra na Capela-Mor do templo, de que se encarregaram o actual representante da família da Casa do Paço de Lanheses, D. Lourenço Vaz de Almada e o Presidente da Junta, Ezequiel Vale. Pelo pastor celebrante e pároco residente da Paróquia de Santa Eulália de Lanheses e de S. Paio de Meixedo, Daniel da Silva Rodrigues, foi dada à concorrida assembleia dos fiéis presentes na missa dominical uma breve explicação da cerimónia, a qual foi sublinhada com uma salva de palmas.

O Doutor Benjamim Moreira fazendo a apresentação do livro "Lanheses a preto e branco".

                Pelas 17 horas, na sala da biblioteca da actual sede da Junta de Freguesia, decorreu o acto solene da celebração do evento, que recorda a data de 29 de Abril de 1793 da assinatura do foral concedido pela Raínha D. Maria I ao fidalgo Sargento-Mor de Infantaria Sebastião Pereira Cyrne Peixoto, Senhor do Padroado de Santa Eulália e do Vínculo da Casa do Paço, decretando a elevação da freguesia a vila concelhia, com a presença de todo o executivo da Junta de Freguesia e respectivos funcionários, representantes das diversas instituições locais e regionais, civis e religiosas, e um número elevado de pessoas que tornaram insuficiente o espaço onde decorreu.

                 Depois da saudação aos presentes de que se encarregou o Presidente da Junta, professor Ezequiel Vale e das palavras que proferiu sobre o significado da celebração da data, chegou o momento porventura mais significativo e marcante da sessão, com a apresentação do livro com o título de "LANHESES A PRETO E BRANCO", um álbum de fotografias antigas comentadas em textos de que se encarregaram autores vários conhecedores do meio a que se reportam, que são testemunho do passado não muito distante dos costumes e tradições da gente de Lanheses, a qual teve a distinta apresentação do Doutor Benjamim Moreira, doutorado em Linguística - Filologia Portuguesa e actual Director da Escola Secundária de Santa Maria Maior, de cujo brilhante momento registo o início da sua intervenção:

      
                 Intervenção de Manuel Paraíso, autor de um dos textos da obra.

........................................................................................
"Agradecer ao Prof. Ezequiel Vale o convite para ler e agora apresentar este livro, isto é, partilhar convosco a minha leitura de um livro que é vosso, que é de todos vós. Trata-se de um atrevimento pois venho de fora da vossa terra mas o livro, o vosso livro é, a partir de agora, também meu pois apropriei-me dele, desculpem o abuso. Na verdade é para mim uma honra poder tornar próprio aquilo que é só vosso. E confesso que gosto muito que me convidem a ler, que me dêem a ler. Eu também gosto muito de dar a ler, de partilhar com os meus amigos as leituras que me impressionam, que me surpreendem, que me dizem algo. Por isso estou contente por estar aqui. Porque gostei muito do livro e porque é uma honra maior estar aqui com os autores da obra: autores dos textos, autores dos retratos, autores da cedência das fotografias, autores retratados nas actividades que no passado mais ou menos recente contribuíram para a identidade desta terra, para a identidade dos Lanhesences. Lanheses tem um rosto e os lanhesences revêem-se nele, re-conhecem-se nele.
        
        Os autores da obra
            Foram muitos os autores e todos quiseram a seu modo fazer perviver, fazer crescer a sua terra. Sabem que a palavra ‘autor’, na sua origem, no sânscrito, quer dizer “aquele que faz crescer, aumentar”, aquilo que hoje chamamos desenvolvimento humano, desenvolvimento social.... E como é que designamos aqueles que tudo fazem para diminuir, apoucar, com palavras ou actos, as pessoas, as terras, os projectos, as ideias? São os detractores. O que distingue, portanto, um autor de um detractor é a presença ou a ausência de uma vontade de valorizar, de crescer, de desenvolvimento humano e social."  
 ...............................................................................................





         Capa e fotos do livro "Lanheses a preto e branco (em baixo)

                                         Capa do livro


                       A Câmara Municipal de Viana do Castelo fez-se representar pela Vereadora do Cultura, drª Maria José, por impedimento do presidente José Maria Costa, tendo proferido no decorrer da sua intervenção palavras de muito apreço e admiração pelo trabalho que aqui vem sendo feito, reiterando o propósito da edilidade em apoiar e incentivar iniciativas  que promovam o progresso e a identidade própria das freguesias do concelho.
 
Um grupo de mulheres de Lanheses entoando um cantar popular da freguesia
                     Um momento genuíno da natureza da gente da freguesia aconteceu quando Helena Brandão, no seu estilo desenvolto e bairrista cantou um número do folclore local ("...Lanheses, canteiro que o Lima meigamente amima, loucamente estima"), acompanhada pelas conhecidas anciãs Rosa de Lamas e Carma da Formiga e do coro formado pelos lanhesenses presentes.


                       Este notável evento terminou com um "verde de honra" a TODOS os presentes, proporcionando um raro momento de convívio e permuta de cumprimentos entre convidados do acto oficial e público em geral, dispensando a referência aos mais notáveis pelo exercício dos cargos oficiais e funções em que estão investidos neste momento, não deixando, porém, de registar o seu elevado número e relevância pública e social.

                     O livro "Lanheses a preto e branco" está disponibilizado até ao esgotamento da sua limitada edição ao preço simbólico de 5€, na sede da Junta de Freguesia.

 
     
          




       
 NOTA PESSOAL DO AUTOR DO BLOGUE.

                     Dedico este post a um menino especial muito corajoso e lutador com a promessa de que continuarei a estar aqui para lhe dar as notícias que ele gosta de saber e transmitir-lhe a minha certeza de que sempre há-de haver alguém que o faço depois de mim, quem sabe se não será ele próprio... 

                     Força "puto".

domingo, 29 de abril de 2012

O FUTEBOL DA NOSSA TERRA.

                   A.F. Viana do Castelo
                   Liga de Honra

                    Em Lanheses,

                        UNIÃO DESPORTIVA DE LANHESES (UDL), 4 - AD Darquense, 1

                    Mais uma vitória do UDL no seu "novo" estádio relvado obtida com merecimento, apesar de algum exagero nos números finais, que não correspondem às oportunidades de golo perdidas pelos darquenses,  que lutaram duramente por levar de Lanheses um ponto que fosse para tentar salvar-se da descida de escalão.

                    Individual e colectivamente, os locais apresentam-se bastante bem neste final de época conseguindo a equipa, embora a espaços, praticar um futebol com princípio, meio e fim, mostrando-se muito solidária nos seus movimentos.

                    Quase todos os jogadores utilizados se mostram em razoável condição física e técnica, com algum destaque para Abílio, Jorginho, Nuninho, Danny. Jovens como José Henrique (17 anos) e Teixeira (18), vindos da formação do clube começam a ser utilizados podendo vir a ser titulares num  futuro muito próximo.

                             NUNINHO, festeja o segundo


                    Os golos foram apontados por Abílio no seguimento de livre de canto, aos 23', o segundo resultou de um centro de Danny com uma entrada de cabeça de Nuninho, aos 54'; aos 75, Jorginho marcou de penalti o terceiro numa falta sobre ele próprio. O Darquense reduziu, também na transformação de um castigo máximo por mão de Pedro Leite que parece não ter acontecido, passando o resultado para 3-1, e, André, aos 90+2', numa jogada rápida de contra ataque fechou o resultado com um remate rasteiro, sem defesa.

                                           Nuno Teixeira a sangrar do nariz, sai do jogo.

                            O jovem Nuno Teixeira, já na segunda parte do jogo, sofreu uma contusão no nariz provocada por um choque com um adversário, tendo sido substituído.
                                           Boa oportunidade.

                      Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!



                              RESULTADOS E CLASSIFICAÇÃO
JORNADA 24
Visitado
Visitante
Távora 0-0 FC Vila Franca 
Correlhã 1-1 GD Moreira do Lima 
SC Courense 1-0 Castelense 
UD Lanheses 4-1 Darquense 
Valenciano 1-2 Ancorense 
Vitorino de Piães 1-1 Monção
 
Neves FC 1-1 Ponte da Barca 
Pos.EquipaPJVEDGMGS

1Ponte da Barca462413744117
2Neves FC462414463617
3SC Courense452413653819
4Monção4124101133927
5UD Lanheses372411493228
6Correlhã35249873226
7Castelense322471163035
8GD Moreira do Lima322495103234
9Valenciano302486103127
10Távora272476113039
11FC Vila Franca252451092534
12Vitorino de Piães252474132743
13Darquense222464143751
14Ancorense152436152861

O Casamento/Casório - por ROSA DELMIRA AGRA GOMES RIO, a ROSA DO ZÉ FIRES.


"Homenagem a Rosa Delmira Agra Gomes Rio feita pelos seus familiares."

        "Fica documentado para que todos os amigos recordem a canção do “Casamento” do património cultural de Lanheses, aquando dos espetáculos de teatro e variedades, realizados nos anos 50-60-70, interpretada pela Rosa do Zé Fires, lanhesense sempre disponível para colaborar em todas as atividades culturais e sociais da sua freguesia e uma das intérpretes dos “Cantares de Lanheses”, recolha feita em CD, no âmbito do programa “Reviver Tradições”."
(da família
video

      
                        Quando me foi sugerida há dias atrás, por familiares da Rosa do Zé Fires, a divulgação no doLethes de uma canção do nosso cancioneiro local, por ela inúmeras vezes cantada nos mais variados momentos e locais, popularizada sob o nome de  "O Casamento/Casório", anui com o maior gosto em homenagem e admiração a uma das figuras mais marcantes com quem muito me aprouve conviver e, conjuntamente, participar em iniciativas de índole cultural ou lúdico promovidos em Lanheses.

                 A Rosa foi uma Mulher que viveu a vida com um sorriso no rosto, uma lição de coragem e abnegação, uma referência de solidariedade e dádiva para com os outros, um paradigma da Família unida e respeitadora dos melhores princípios e valores da sociedade a que pertenceu. Deixou-nos recentemente, quando tanto ainda nos tinha para dar, quase de surpresa como se tivesse desejado que a recordássemos no seu rosto simpático e na voz linda que aqui nos legou.

                 Hoje, 29 de Abril, é o "Dia da Freguesia de Lanheses", uma data adequada para prestar a homenagem devida aos que já não estão entre nós fisicamente, mas continuam bem vivos pelo exemplo e mérito dos seus actos de que nos orgulhámos agora.

                 Como merece ROSA DELMIRA AGRA GOMES RIO, a nossa Rosa do Zé Fires.


                       A Rosa do Zé Fires (na corda) e a Rosa de Lamas (no mastro) entoando cantigas populares de Lanheses na viagem inaugural do "água-arriba" LANHEZES, no Rio Lima. (2010)

                

sábado, 28 de abril de 2012

I LOVE YOU.


FACTOS & FOTOS PARA PARTILHAR.

       - OLHA, O "MERCADORIAS"! Gustav Eiffel, passou aqui.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

JÁ HÁ FILHOTES NO NINHO DAS CEGONHAS-BRANCAS!

   Nova ninhada foi saudada por uma "esquadrilha" da espécie que sobrevoou o ninho.

                         Há indícios de terem nascido já os filhotes do casal de cegonhas-brancas do lugar da Feira. Tendo vindo a observar o que se vai passando no ninho construído no cima da chaminé do edifício da antiga Casa do Povo, pude verificar que os dois progenitores pousavam na borda do ninho e, com os seus longos bicos, procediam à limpeza do local onde têm as crias. Entretanto, um grupo de quatro aves da mesma espécie sobrevoou a baixa altura o local em círculos curtos como que querendo conhecer os novos companheiros da mesma espécie, reagindo o casal com o estridente som que emitem batendo os seus bicos ponteagudos e executando movimentos semelhantes a vénias abrindo, ao mesmo tempo, as suas longas asas como se estivessem a anunciar o feliz acontecimento.

                   Infelizmente, só pude registar o curioso ritual através da imagem de telemóvel, mas, apesar da pouca qualidade da fotografia (onde ficou registada uma das quatro aves que referi), não resisti a divulgá-la para referência futura.

COMEMORAÇÃO DO "DIA DA FREGUESIA DE LANHESES"

  

                        A Junta de Freguesia está a preparar a celebração do Dia da Freguesia de Lanheses, criado no ano transacto, a qual vai decorrer no próximo domingo, dia 29, tendo preparado para celebrar condignamente a efeméride algumas cerimónias públicas alusivas à data.

         As iniciativas previstas compreendem a colocação de uma coroa de flores no túmulo dos Ricaldes existente no interior da Capela-Mor da Igreja Paroquial, a hora ainda não determinada mas que deverá ser antes ou no fim  da missa dominical das 11 horas, devendo estar presente um representante da família da Casa do Paço dos Condes de Almada, a que pertenceu.

         Pelas 17 horas haverá lugar na
sede da Junta de Freguesia uma sessão pública para a qual foi convidado o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa, com vista à apresentação de um livro idealizado e compilado pela Junta de Freguesia  com o título "Lanheses a preto e branco", composto por fotografias a preto e branco, antigas, e, de textos a elas alusivos de que se encarregaram diferentes autores,  estando a apresentação a cargo de Benjamim Moreira, doutorado em Linguística - Filologia Portuguesa e actual Director da Escola Secundária de Santa Maior Maior, em Viana do Castelo.
  



quinta-feira, 26 de abril de 2012

O FUTEBOL DA NOSSA TERRA - Calendário de Jogos.

 


















 
Iniciados

Torneio Extraordinário - Série A

29/04/12 - Estádio 15 de Agosto - Lanheses

U.D. Lanheses * Adecas

EXPOSIÇÃO NA BE DA ESCOLA SECUNDÁRIA.

               
             A Biblioteca Escolar da Escola EB 2,3/S, do Agrupamento Escolar Arga e Lima abriu, ontem, uma nova exposição foto-bibliográfica e documental versando o tema da liberdade instaurada com a revolução de 25 de Abri de 1974.


             Quem não quiser ou não puder deslocar-se ao local da exposição para vê-la e lê-la pode, apesar disso, ficar com uma imagem do material ali disponível abrindo o link que se segue.

             Boa viagem.



quarta-feira, 25 de abril de 2012

A IGREJA QUE FOI A PRIMEIRA MATRIZ DE VIANA DO CASTELO.

                                       A Igreja das Almas


               Há quem pense que é capela mas a sua antiga e interessantíssima história é a de uma igreja que já foi sede de paróquia que se estendia da Areosa até Lanheses. Levantada sob ruínas de uma construção antiga, não seguramente identificada, esta Igreja Românica localizada no Largo das Almas, em Viana do Castelo, data do século XIII, mantendo do lado sul a parede da época medieval onde se pode ver um arcossário, dessa era. Até ao finais do séc. XIX, o adro foi cemitério.

                            Um lindo altar no interior

               As recentes obras de requalificação que ali foram levadas a efeito, puseram à vista e restauraram as antigas sepulturas e sarcófagos e respectivas ossadas existentes no seu interior e os vestígios do antigo templo, bem como interessantes adereços, moedas de diferentes datas, tecidos e até uma prótese de um braço que se encontram devidamente classificados e expostos no seu interior, juntamente com fotografias das pesquisas arqueológicas ali efectuadas e de pedaços do burgo vianense relacionados com a história daquela que foi a primeira matriz fora de portas da antiga Viana, deixando de o ser quando foi construída no interior das muralhas a actual Sé, no Largo da Matriz.

          O privilégio de ter um guia como A. Antunes de Abreu

               O local está aberto ao público dentro de um horário estabelecido e dispõe de responsável permanente credenciado para prestar informações e responder ao interesse dos visitantes pelo que vêem, não sendo cobrada qualquer importância pela visita. 


                                  O Professor e os alunos da Academia Sénior
              

              

FACTOS & FOTOS PARA PARTILHAR.

                                                         O SEMPRE EM PÉ

                                "DE PÉ, DE PÉ COMO AS ÁRVORES"!


terça-feira, 24 de abril de 2012

A FESTA GRANDE DE VILA MOU.

               Uma das festas a que os lanhesenses mais significado atribuem e participam, das que ocorrem fora desta localidade, é a que se realiza na vizinha freguesia de Vila Mou, em Honra de Nossa Senhora da Encarnação, a qual vai decorrer entre os dias 17 a 28 do próximo mês de Maio, e cujo cartaz muito nos apraz aqui publicar.

           Esta festa religiosa, que, acompanhando a evolução dos tempos tem vindo a incluir nos seus programas de há alguns anos a esta parte números de índole popular, tem uma tradição que vem já de tempos longínquos e os vilamoenses dedicam-lhe um carinho e devoção tal que a mantém entre as mais grandiosas e concorridas das muitas que acontecem anualmente em toda a Ribeira Lima, sendo famosa a espectacular procissão que ocorre na segunda-feira, último e principal dia das festividades, onde predominam os lindos andores artísticos conduzidos aos ombros pelos mordomos e habitantes locais e a excelência das Bandas Musicais seleccionadas que actuam no Domingo. Outro motivo de grande atracção e que é já um ex-libris de Vila Mou e da festa grande, é o arco artístico que é levantado à entrada da Avenida do Padre António Palhares que serve a Igreja Paroquial, onde se destacam as filigranas pintadas de branco construídas com varas de amieiro e vime e a ornamentação de toda a estrutura com flores e bucho, em observância daquilo que o seu criador e, durante muitos anos, executor, o artesão e construtor civil Manuel da Pedreira, concebeu.

   


FACTOS & FOTOS PARA PARTILHAR.

                                      MODERNA FROTA DE PESCA PORTUGUESA À ESPERA DO SUBSÍDIO DA UE PARA ZARPAR...

domingo, 22 de abril de 2012

INICIADO CICLO DE TERTÚLIAS NA SEDE DA JUNTA DE FREGUESIA.

                A Junta de Freguesia de Lanheses propõem-se levar a efeito um ciclo de tertúlias, para concretizar no decorrer deste ano, com vista a proporcionar à população da freguesia alguns encontros de convívio e enriquecimento humano e cultural, a primeira das quais decorreu ontem no salão da sua Biblioteca da antiga Escola Primária e actual sede da Junta, tendo como tema de fundo o próximo lançamento do livro "Lanheses a Preto e Branco", o qual deverá ficar disponível na celebração do "Dia da Freguesia" que vai ocorrer no dia 29 deste mês.

           Dada a exiguidade do espaço disponível a sessão foi restringida a 35 inscrições que aceitaram o convite e o pagamento de uma importância proporcional à despesa efectuada com um ligeiro serviço de bufete, de cuja organização se encarregaram voluntariamente os funcionários Ana Maria, Piedade,João e um dos seus filhos, sob a coordenação da professora Rosa Castro Correia, bem como do próprio presidente, Ezequiel Vale.

            Para divulgação do trabalho consignado ao tema acima mencionado, que aborda aspectos do quotidiano da vida da freguesia a partir do início do século passado com recurso a fotografias a preto-e-branco daquela época, cedidas por particulares, foram lidos, aleatoriamente escolhidos, por alguns presentes textos da autoria de lanhesenses que viveram, ou pesquisaram, os momentos e eventos de que elas são testemunhos e que integrarão a obra segundo o tema que nelas se contem, num total de catorze sinopses que correspondem a igual número de capítulos que o livro perfaz.

            A Tertúlia, cuja segunda sessão está agendada para o dia 15 do próximo mês de Junho, teve animação musical a cargo da cantora Ana Ferreira e do pianista Paulo Pinto, da escola amadeus, que interpretaram um variado reportório de canções e músicas actuais de sucesso e da "belle époque", com uma qualidade e segurança artística muito aplaudidas pelos presentes.


           
           Pelo ineditismo e louváveis objectivos que prossegue, esta nova iniciativa que a Junta de Freguesia e, particularmente, o seu Presidente, pretende institucionalizar, tem jus ao mérito e ao apoio incondicional da população lanhesense.